Tratamentos Naturais para Enjoo Matinal

Poderão a cannabis e o gengibre ser considerados seguros e eficazes no tratamento de hiperêmese gravídica (enjoo matinal severo durante a gravidez)?

Se ainda não o fizeram, podem subscrever aos novos vídeos aqui

Notas do Dr. Michael Greger

As pessoas há muito me perguntam por vídeos sobre marijuana medicinal, mas por causa do estigma, apenas recentemente tem aparecido um número substancial de ensaios clínicos publicados. Assim que houver massa crítica, vou publicar uma série de vídeos sobre os potenciais prós e contras.

Que mais pode o gengibre fazer? Vejam:

Vejam a minha maneira favorita de comer gengibre: Receita de Remédio Natural para a Náusea do Dr. Greger

Outros vídeos sobre gravidez saudável incluem:

Tem uma questão para o Dr. Greger sobre este vídeo? Deixe-a na secção de comentários do original Natural Treatments for Morning Sickness e ele procurará responder-lhe!

Fontes citadas

L B Signorello, B L Harlow, S Wang, M A Erick. Saturated fat intake and the risk of severe hyperemesis gravidarum. Epidemiology. 1998 Nov;9(6):636-40.

M Davis. Nausea and vomiting of pregnancy: an evidence-based review. J Perinat Neonatal Nurs. 2004 Oct-Dec;18(4):312-28.

T R Einarson, C Piwko, G Koren. Quantifying the global rates of nausea and vomiting of pregnancy: a meta analysis. J Popul Ther Clin Pharmacol. 2013;20(2):e171-83.

A C Huizink. Prenatal cannabis exposure and infant outcomes: overview of studies. Prog Neuropsychopharmacol Biol Psychiatry. 2014 Jul 3;52:45-52.

R E Westfall, P A Janssen, P Lucas, R Capler. Survey of medicinal cannabis use among childbearing women: patterns of its use in pregnancy and retroactive self-assessment of its efficacy against ‘morning sickness’. Complement Ther Clin Pract. 2006 Feb;12(1):27-33.

M Ding, M Leach, H Bradley. The effectiveness and safety of ginger for pregnancy-induced nausea and vomiting: a systematic review. Women Birth. 2013 Mar;26(1):e26-30.

T D Warner, D Roussos-Ross, M Behnke. It’s not your mother’s marijuana: effects on maternal-fetal health and the developing child. Clin Perinatol. 2014 Dec;41(4):877-94.

S C Jaques, A Kingsbury, P Henshcke, C Chomchai, S Clews, J Falconer, M E Abdel-Latif, J M Feller, J L Oei. Cannabis, the pregnant woman and her child: weeding out the myths. J Perinatol. 2014 Jun;34(6):417-24.

S Tesfaye, V Achari, Y C Yang, S Harding, A Bowden, J P Vora. Pregnant, vomiting, and going blind. Lancet. 1998 Nov 14;352(9140):1594.

M Hillbom, J Pyhtinen, V Pylvänen, K Sotaniemi. Pregnant, vomiting, and coma. Lancet. 1999 May 8;353(9164):1584.

WL Curry. Hyperemesis Gravidarum and Clinical Cannabis:To Eat or Not to Eat? Co-published simultaneously in Journal of Cannabis Therapeutics (The Haworth Integrative Healing Press, an imprint of The Haworth Press, Inc.) Vol. 2, No. 3/4, 2002, pp. 63-83; and: Women and Cannabis: Medicine, Science, and Sociology (ed: Ethan Russo, Melanie Dreher, and Mary Lynn Mathre) The Haworth Integrative Healing Press, an imprint of The Haworth Press, Inc., 2002, pp. 63-83.

P Mazzota, L Magee, G Koren. Therapeutic abortions due to severe morning sickness. Unacceptable combination. Can Fam Physician. 1997 Jun;43:1055-7.

Recolher Fontes

Desenrole a Transcrição aqui

Tratamentos Naturais para Enjoo Matinal

Náuseas e vómitos são comuns durante a gravidez, afectando 70 a 85% das mulheres de todo o mundo, mas não em todos os países. Grupos populacionais que comem dietas mais à base de plantas tendem a ter pouca ou nenhuma náusea ou vómitos durante a gravidez. Por exemplo, com base no tamanho das nações, as taxas reportadas mais baixas do mundo são na Índia, com apenas 35%. Por vezes os sintomas são tão graves que podem tornar-se uma ameaça à vida, uma condição conhecida como hiperêmese gravídica. A cada ano mais de 50.000 mulheres grávidas são hospitalizadas. O que podemos fazer para além de reduzir o nosso consumo de gordura saturada, por exemplo, cortando as probabilidades em cinco vezes ao cortar da dieta um cheeseburger por dia? A melhor evidência disponível sugere que o gengibre é um tratamento seguro e eficaz. A dose recomendada é de uma grama de gengibre em pó por dia. Cerca de meia colher de chá, o que equivale a cerca de uma colher de chá cheia de gengibre fresco ralado, ou quatro xícaras de chá de gengibre. A dose diária máxima recomendada é de quatro gramas, contudo, assim, não mais do que tipo duas colheres de chá de gengibre em pó por dia. A cannabis foi classificada como extremamente eficaz ou eficaz por nove em cada dez mulheres grávidas que a usaram para enjoos matinais. Mas o uso de cannabis durante a gravidez pode ser considerado como potencialmente prejudicial para o feto em desenvolvimento. Esta não é a maconha da tua mãe. A marijuana de hoje é seis a sete vezes mais potente do que na década de 1970, e pode causar problemas tanto no feto em desenvolvimento como, posteriormente, na criança em desenvolvimento. O ponto principal é que as usuárias de cannabis grávidas ou a amamentar devem ser aconselhadas ou a diminuir ou, quando possível, cessar o uso de cannabis inteiramente. O que querem dizer com “quando possível”? Em que circunstâncias não seria? As pessoas não percebem o quão mal se pode ficar. Isto é o como uma mulher o descreveu: (Resumo: …primeiro o ácido do estômago – amarelo, depois a camada externa – laranja, depois vem a bílis verde do intestino, e depois é puro sangue.) Hiperêmese gravídica pode levar a vómitos tão violentos que se pode romper o esófago, sangrar dos olhos, ficar cego, ou entrar em coma. E então, há certas circunstâncias em que a cannabis pode ser um salva-vidas tanto para a mãe como para o bebé, já que as mulheres, por vezes, compreensivelmente, optam por interromper a gravidez… de outra forma desejada. Nutrição em Factos, a mais recente pesquisa em nutrição. Publicações em português em Nutricao-em-Fatos.org
Recolher Transcrição

Imagem graças a Sarah via Pixabay

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *