Vive-se Mais Tempo se se Tomar Suplementos de Vitamina D?

O que é que 56 ensaios clínicos randomizados, envolvendo quase 100.000 pessoas entre as idades de 18 e 107, mostraram que a vitamina D pode fazer à nossa expectativa de vida?

Se ainda não o fizeram, podem subscrever aos novos vídeos aqui

Notas do Dr. Michael Greger

Para explorar as ligações pretendidas entre vitamina D e obesidade, diabetes, e hipertensão, vejam o meu vídeo, Os Suplementos de Vitamina D Ajudam com Diabetes, Perda de Peso e Pressão Arterial? (Legendado em Português).

O efeito do “donut extra” pode explicar Como os Refrigerantes de Dieta Podem Fazer-nos Ganhar Peso.

Fiquem atentos a:

Tem uma questão para o Dr. Greger sobre este vídeo? Deixe-a na secção de comentários do original Will You Live Longer if You Take Vitamin D Supplements? e ele procurará responder-lhe!

Fontes citadas

S Slow, C M Florkowski, S T Chambers, P C Priest, A W Stewart, L C Jennings, J H Livesey, C A Camargo Jr, R Scragg, D R Murdoch. Effect of monthly vitamin D3 supplementation in healthy adults on adverse effects of earthquakes: randomised controlled trial. BMJ. 2014 Dec 15;349:g7260.

J P Ekwaru, J D Zwicker, M F Holick, E Giovannucci, P J Veugelers. The importance of body weight for the dose response relationship of oral vitamin D supplementation and serum 25-hydroxyvitamin D in healthy volunteers. PLoS One. 2014 Nov 5;9(11):e111265.

G Bjelakovic, L L Gluud, D Nikolova, K Whitfield, J Wetterslev, R G Simonetti, M Bjelakovic, C Gluud. Vitamin D supplementation for prevention of mortality in adults. Cochrane Database Syst Rev. 2014 Jan 10;1:CD007470.

P Welsh, N Sattar. Vitamin D and chronic disease prevention. BMJ. 2014 Apr 1;348:g2280.

E Theodoratou, I TzoulakI, L Zgaga, J P Ioannidis. Vitamin D and multiple health outcomes: umbrella review of systematic reviews and meta-analyses of observational studies and randomised trials. BMJ. 2014 Apr 1;348:g2035.

J C Seida, J Mitri, I N Colmers, S R Majumdar, M B Davidson, A L Edwards, D A Hanley, A G Pittas, L Tjosvold, J A Johnson. Clinical review: Effect of vitamin D3 supplementation on improving glucose homeostasis and preventing diabetes: a systematic review and meta-analysis. J Clin Endocrinol Metab. 2014 Oct;99(10):3551-60.

L A Beveridge, A D Struthers, F Khan, R Jorde, R Scragg, H M Macdonald, J A Alvarez, R S Boxer, A Dalbeni, A D Gepner, N M Isbel, T Larsen, J Nagpal, W G Petchey, H Stricker, F Strobel, V S Tangpricha, L Toxqui, M P Vaquero, L Wamberg, A Zittermann, M D Witham; D-PRESSURE Collaboration. Effect of Vitamin D Supplementation on Blood Pressure: A Systematic Review and Meta-analysis Incorporating Individual Patient Data. JAMA Intern Med. 2015 May;175(5):745-54.

J Wierzbicka, A Piotrowska, M A Żmijewski. The renaissance of vitamin D. Acta Biochim Pol. 2014;61(4):679-86.

R Chowdhury, S Kunutsor, A Vitezova, C Oliver-Williams, S Chowdhury, J C Kiefte-de-Jong, H Khan, C P Baena, D Prabhakaran, M B Hoshen, B S Feldman, A Pan, L Johnson, F Crowe, F B Hu, O H Franco. Vitamin D and risk of cause specific death: systematic review and meta-analysis of observational cohort and randomised intervention studies. BMJ. 2014 Apr 1;348:g1903.

W B Grant. An estimate of the global reduction in mortality rates through doubling vitamin D levels. Eur J Clin Nutr. 2011 Sep;65(9):1016-26.

P Autier, M Boniol, C Pizot, P Mullie. Vitamin D status and ill health: a systematic review. Lancet Diabetes Endocrinol. 2014 Jan;2(1):76-89.

W. Mozolowski. Jędrzej Sniadecki (1768-1838) on the Cure of Rickets. Article in Nature 143:121 · December 1938 with 32 Reads.

A F Hess. The Prevention and Cure of Rickets by Sunlight. Am J Public Health (N Y). 1922 Feb;12(2):104-7.

Recolher Fontes

Desenrole a Transcrição aqui

Vive-se Mais Tempo se se Tomar Suplementos de Vitamina D?

Em 1822, um médico polonês foi o primeiro a publicar que a luz solar podia curar a doença de deficiência de vitamina D: o raquitismo. O seu trabalho foi ignorado pela medicina convencional durante um século, não entrando em uso generalizado até ao século 20, quando grades de arame foram fixadas nos prédios de apartamentos para que os bebés pudessem beneficiar do sol. Estaremos numa situação semelhante agora, onde a profissão médica simplesmente não acompanhou a ciência?
Pesquisadores têm documentado correlações entre todo o tipo de coisas boas e níveis mais elevados de vitamina D, até mesmo ao ponto de verem se a suplementação de vitamina D podia reduzir os efeitos adversos dos terremotos. Parece ajudar com tudo o resto, então por que não? Na realidade não é tão tonto quanto soa ser. Eventos traumáticos como os desastres naturais podem ter um impacto psicológico significativo, o qual pode ser afetado pelos níveis de vitamina D. Mas quando os pesquisadores submeteram os suplementos ao teste, as supostas ligações frequentemente não davam certo.
Esta falta de efeito pode existir em parte porque os níveis baixos de vitamina D podem ser apenas um marcador para coisas como envelhecimento, obesidade, tabagismo e inatividade. Ou talvez os baixos níveis de vitamina D não levavam à doença, mas talvez a doença tenha levado ao baixo nível de vitamina D — a inflamação pode fazer cair os níveis de vitamina D no corpo. Então, só porque níveis baixos de vitamina D e doença parecem estar correlacionados não significa que a deficiência de vitamina D seja a causa. Enquanto que a maioria dos estudos observacionais pode mostrar uma ligação, quando simplesmente se mede os níveis de D e as taxas de doença, em apenas um punhado de condições têm os estudos de intervenção comprovado que a vitamina D seja eficaz, onde se dá às pessoas suplementos de vitamina D ou placebos e vê-se o que acontece.
Mas uma das condições em que os suplementos de vitamina D aparecem funcionar realmente é no ajudar a prevenir … a mortalidade. 56 ensaios clínicos randomizados, envolvendo cerca de 100.000 pessoas entre as idades de 18 e 107, na maioria mulheres, randomizados para quatro anos de suplementos de vitamina D ou placebos de açúcar. Junte-se todos os estudos e os que receberam suplementos de vitamina D viveram mais tempo, diminuindo também, especificamente, o risco de se morrer de cancro. Note-se que este efeito pareceu limitado a vitamina D3, contudo, o tipo derivado de plantas e animais, não a vitamina D2, o tipo derivado de levedura e cogumelos.
Quão grande foi o efeito? Seria preciso 150 pessoas tomarem suplementos de vitamina D durante 5 anos para se salvar uma vida, e por isso, se estivéssemos a falar de um medicamento, ter-se-ia que pesar isso contra o custo e os efeitos colaterais de se medicar tantas pessoas. Mas quando estamos a falar de algo tão seguro e barato como suplementos de vitamina D, a mim parece-me uma pechincha. Uma análise similar afixou um benefício de 11% em termos de redução da mortalidade total, o que é bastante substancial, potencialmente oferecendo um benefício de extensão de vida em pé de igualdade com o exercício. Embora não, não parece reduzir os efeitos adversos dos terremotos. A única preocupação que foi levantada é que pode dar às pessoas licença de tipo pedirem um donut extra ou algo assim.
Ainda temos que comer saudável. Qualquer benefício de longevidade da vitamina D seria apenas um pequeno adjunto para um estilo de vida saudável. Mas para aqueles de nós que querem toda a ajuda que podem obter, a questão então torna-se: OK, quanto devemos tomar? A questão que vou abordar a seguir. . . Nutrição em Factos, a mais recente pesquisa em nutrição. Publicações em Português em Nutricao-em-Fatos.org
Recolher Transcrição

Imagem graças a Vitaliy Gladkiy.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *