Sementes de Linhaça para Hipertensão

Resultados extraordinários reportados num exemplo raro de um ensaio randomizado, controlado por placebo e duplo-cego de uma intervenção dietética (sementes de linhaça) para combater um dos nossos principais assassinos, a pressão arterial elevada.

Se ainda não o fizeram, podem subscrever aos novos vídeos aqui

Notas do Dr. Michael Greger

E isso não é tudo o que a linhaça pode fazer. Vejam:

Chá de Hibisco também pode ajudar com pressão arterial elevada: Chá de Hibisco vs. Dietas à Base de Plantas para Hipertensão.

A dieta também pode ter um papel importante na prevenção da doença cardíaca (Um em Mil: Acabando com a Epidemia da Doença Cardíaca) e diabetes (Dietas à Base de Plantas e Diabetes). Em alguns casos a dieta pode até reverter alguns dos piores estragos da pressão arterial elevada: A Dieta do Arroz de Kempner: Limpando-nos em Boa Forma.

Tem uma questão para o Dr. Greger sobre este vídeo? Deixe-a na secção de comentários do original Flax Seeds for Hypertension e ele procurará responder-lhe!

Fontes citadas
Desenrole a Transcrição aqui

Sementes de Linhaça para Hipertensão

Um recente artigo na revista Meat Science reconheceu que um setor da população vê a carne como um alimento que é prejudicial para a sua saúde por causa dos estudos que associam o consumo de carne com doenças cardíacas e cancro. Por estas razões, estes consumidores de carne procuram alternativas mais saudáveis ​​de alimentos como um meio para manterem uma boa saúde. E então, isto representa uma boa oportunidade para a indústria desenvolver alguns produtos novos. Alimentos naturais poderiam ser adicionados à carne para se alcançar esses consumidores orientados para a saúde ao aumentar-se os níveis de antioxidantes, por exemplo. Alimentos como sementes de linhaça e tomates são saudáveis, associados com um menor risco de cancro e doenças cardiovasculares. Então, fazendo hambúrgueres com linhaça e tomate, eles imaginaram de alguma forma poder-se reduzir a ingestão de gordura saturada e de açúcar? É como a sua ideia de porco alimentado a linhaça para produzir “banha enriquecida.” Não seria mais fácil simplesmente excluir o porco e comermos as sementes de linho nós mesmos? As sementes de linhaça têm sido descritas como uma “defesa milagrosa contra algumas doenças críticas.” Agora, eu sou um fã de linhaça, mas este título parecia um pouco exuberante demais. Imaginei que algo simplesmente se tivesse perdido na tradução, mas então vi este estudo e percebi que talvez aquele título não estivesse tão longe da realidade. Raramente vemos um estudo dietético deste calibre. Um ensaio prospectivo randomizado, controlado com placebo, duplo-cego… sabem o quão difícil isto é num estudo de nutrição? Quer dizer, para medicamentos é fácil: Usa-se dois comprimidos que parecem idênticos — um é ativo, um é placebo — e até ao final do estudo nem o pesquisador nem o paciente têm alguma ideia de qual é qual, portanto, duplo-cego. Mas as pessoas tendem a perceber o que estão a comer. Logo, como é que se enfia um quarto de chávena de linhaça moída em metade das dietas das pessoas sem que elas o saibam? Eles criaram vários destes alimentos contendo linhaça ou placebos, e até adicionaram farelo e melaço para corresponder à cor e textura e então foi tudo um grande segredo até 6 meses depois quando quebraram o código para ver quem comia qual. Porquê testá-lo em hipertensão? Porque ter-se uma pressão arterial sistólica superior a 115 – que é o número superior – poderá ser, hoje, o único mais importante determinante de morte no mundo. Se se pegar numa data de pessoas mais velhas, a maioria deles numa variedade de comprimidos para a pressão arterial, e não se mexer na dieta, apesar dos medicamentos com que posam começar, em média, são hipertensos e permanecem hipertensos 6 meses mais tarde. Mas aqueles que estavam, sem saberem, a comer linhaça moída diariamente baixaram a sua pressão arterial sistólica cerca de 10 pontos, e a diastólica, o número inferior, em cerca de 7 pontos. Isso pode não parecer muito, mas uma queda como essa pode reduzir o risco de derrame em 46%, e doença cardíaca em 29%, e a queda de 10 pontos no número superior pode ter um efeito semelhante em derrames e ataques cardíacos. E para aqueles que começaram com mais de 140, tiveram uma queda de 15 pontos. Em resumo, as sementes de linhaça induziram um dos mais potentes efeitos anti-hipertensivos já alcançados por uma intervenção dietética. Por outras palavras, a magnitude desta redução da pressão arterial, demonstrada pelas sementes de linhaça na alimentação, é tão boa ou melhor do que quaisquer outras intervenções nutricionais, e comparável a muitos medicamentos, que podem ter efeitos secundários graves. E eles não estão a exagerar quanto ao comparável com ​​os medicamentos. A linhaça fez cair a sistólica e diastólica em até 15 e 7 pontos. Compare isso com inibidores ECA poderosos como o Vasotec, o qual só consegue fazer cair as pressões em 5 e 2 pontos. Bloqueadores de canais de cálcio como o Norvasc ou o Cardizem, 8 e 3 – metade do que a linhaça conseguiu fazer. E os efeitos secundários incluem … Compare esta lista à dos efeitos colaterais das sementes de linhaça: o seu agradável sabor a noz. Durante os 6 meses do ensaio houve derrames e ataques cardíacos em ambos os grupos. Mesmo que as sementes de linho possam reduzir o risco pela metade, contudo, qualquer risco evitável é inaceitável. Bem, a pressão arterial elevada não é simplesmente inevitável à medida que envelhecemos? Não, a prevalência de hipertensão arterial aumenta dramaticamente com a idade, mas não para todos. As pessoas que comem mais dietas à base de vegetais ou mantêm a sua ingestão de sal baixa o suficiente tendem a não apresentar qualquer alteração na pressão sanguínea com o avanço da idade. E então, a linhaça é ótima, mas é sempre melhor prevenir a doença em primeiro lugar. Nutrição em Factos a mais recente pequisa em nutrição. Publicações em Português em Nutricao-em-Fatos.org
Recolher Transcrição

Imagens graças a John and Anni Winings via Flickr.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *