Que Tipo de Proteína é Melhor para os Nossos Rins

Medicação anti-inflamatória abole a resposta de hiperfiltração e proteinúria à ingestão de carne, sugerindo que a proteína animal causa stress nos rins através de um mecanismo inflamatório.

Se ainda não o fizeram, podem subscrever aos novos vídeos aqui

Notas do Dr. Michael Greger

Isto é parte de uma nova série de vídeos sobre saúde dos rins:

Comparei a proteína animal e a vegetal de várias maneiras. Vejam, por exemplo,

E talvez a demonstração mais dramática tenha sido o estudo que perfilei na minha última apresentação anual Alimentação como Medicina: Prevenção e Tratamento das Doenças Mais Temidas com Dieta (Legendado em Português). Estou a trabalhar num novo vídeo que o aprofunda ainda mais; fiquem atentos!

Tem uma questão para o Dr. Greger sobre este vídeo? Deixe-a na secção de comentários no link original e ele procurará responder-lhe!

Fontes citadas

ZM Liu, SC Ho, YM Chen, N Tang, J Woo. Effect of whole soy and purified isoflavone daidzein on renal function–a 6-month randomized controlled trial in equol-producing postmenopausal women with prehypertension. Clin Biochem. 2014 Sep;47(13-14):1250-6.

A Odermatt. The Western-style diet: a major risk factor for impaired kidney function and chronic kidney disease. Am J Physiol Renal Physiol. 2011 Nov;301(5):F919-31.

J Lin, FB Hu, GC Curhan. Associations of diet with albuminuria and kidney function decline. Clin J Am Soc Nephrol. 2010 May;5(5):836-43.

N Soroka, DS Silverberg, M Greemland, Y Birk, M Blum, G Peer, A Iaina. Comparison of a vegetable-based (soya) and an animal-based low-protein diet in predialysis chronic renal failure patients.Nephron. 1998;79(2):173-80.

G Barsotti, E Morelli, A Cupisti, P Bertoncini, S Giovannetti. A special, supplemented ‘vegan’ diet for nephrotic patients. Am J Nephrol. 1991;11(5):380-5.

P Fioretto, R Trevisan, A Valerio, A Avogaro, M Borsato, et al. Impaired renal response to a meat meal in insulin-dependent diabetes: role of glucagon and prostaglandins. Am J Physiol. 1990 Mar;258(3 Pt 2):F675-83.

SR Teixeira, KA Tappenden, L Carson, R Jones, M Prabhudesai, WP Marshall, JW Erdman Jr. Isolated soy protein consumption reduces urinary albumin excretion and improves the serum lipid profile in men with type 2 diabetes mellitus and nephropathy. J Nutr. 2004 Aug;134(8):1874-80.

AY Chan, ML Cheng, LC Keil, BD Myers. Functional response of healthy and diseased glomeruli to a large, protein-rich meal. J Clin Invest. 1988 Jan;81(1):245-54.

CJ Murray, C Atkinson, K Bhalla, G Birbeck, R Burstein, et al. The state of US health, 1990-2010: burden of diseases, injuries, and risk factors. JAMA. 2013 Aug 14;310(6):591-608.

BM Brenner, TW Meyer, TH Hostetter. Dietary protein intake and the progressive nature of kidney disease: the role of hemodynamically mediated glomerular injury in the pathogenesis of progressive glomerular sclerosis in aging, renal ablation, and intrinsic renal disease. N Engl J Med. 1982 Sep 9;307(11):652-9.

P Kontessis, S Jones, R Dodds, R Trevisan, R Nosadini, P Fioretto, M Borsato, D Sacerdoti, G Viberti. Renal, metabolic and hormonal responses to ingestion of animal and vegetable proteins. Kidney Int. 1990 Jul;38(1):136-44.

G Barsotti, A Cupisti, E Morelli, F Ciardella, S Giovannetti. Vegan supplemented diet in nephrotic syndrome. Nephrol Dial Transplant. 1990;5 Suppl 1:75-7.

J Coresh, E Selvin, LA Stevens, J Manzi, JW Kusek, P Eggers, F Van Lente, AS Levey. Prevalence of chronic kidney disease in the United States. JAMA. 2007 Nov 7;298(17):2038-47.

TP Ryan, JA Sloand, PC Winters, JP Corsetti, SG Fisher. Chronic kidney disease prevalence and rate of diagnosis. Am J Med. 2007 Nov;120(11):981-6.

Recolher Fontes

Desenrole a Transcrição aqui

Que Tipo de Proteína é Melhor para os Nossos Rins?”

Entre 1990 e 2010, algumas das nossas principais causas de morte e incapacidade não mudaram. A doença cardíaca foi a principal causa de perda de vida e saúde então e continua a ser a principal causa hoje. Algumas coisas melhoraram, como o HIV/SIDA, mas outras pioraram, como… …a doença renal crónica. Uma duplicação das dezenas de milhares de mortes e dos centenas de milhares cujos rins falharam completamente, exigindo transplante renal ou diálise para toda a vida. E cerca de um em oito de nós, agora, tem doença renal crónica quer o saibamos ou não. E a maioria das pessoas com doença renal não o sabem. Cerca de três quartos dos milhões de pessoas afetadas desconhecem que os seus rins estão a começar a falhar, o que é particularmente preocupante dado que a identificação precoce oferece uma oportunidade para abrandar a progressão e alterar o curso da doença. Então, o que é que podemos fazer? A dieta de estilo ocidental é um dos principais fatores de risco de insuficiência renal e doença renal crónica, também conhecida como a dieta da carne e dos doces, ou dieta padrão americana, causando uma diminuição do fluxo sanguíneo renal, inflamação, e o subsequente vazamento de proteína na urina, e uma rápida diminuição da função renal. Açúcar e xarope de milho rico em frutose estão associados ao aumento da pressão arterial e dos níveis de ácido úrico, que podem, ambos, danificar o rim. E a gordura saturada, gordura trans e colesterol, encontrados em gordura animal e porcaria processada também têm um impacto negativo na função renal. O consumo de gordura animal pode, efetivamente, alterar a estrutura do rim. E a proteína animal pode entregar uma carga de ácido para os rins, aumentar a produção de amónia, e danificar as células sensíveis dos rins. É por isso que restringir a ingestão de proteína é recomendado na prevenção do declínio da função renal, embora possa ser a proteína animal em particular, e não simplesmente proteínas em geral. Assim, a fonte de proteína, vegetal versus animal, pode ser mais importante do que a quantidade, no que concerne às consequências adversas à saúde. O consumo de proteína animal tem um efeito profundo na função normal do rim humano, induzindo o que é chamado de hiperfiltração, aumentando a carga de trabalho dos rins. Isso pode ajudar a explicar porque os nossos rins falham tantas vezes. A ingestão ilimitada de alimentos ricos em proteínas, agora geralmente considerado como “normal”, pode ser responsável ​​pelas diferenças dramáticas na função renal entre os seres humanos modernos e os seus predecessores remotos que… caçavam e vasculhavam por carne aqui e ali. Excessos de proteína continuados em vez de intermitentes obriga-nos a recorrer às nossas reservas dos rins contínuamente, provocando tipo um stress implacável aos nossos rins que pode predispor até as pessoas saudáveis a cicatrização progressiva dos rins e deterioração da função renal. É como estar sempre a acelerar o nosso motor até ao vermelho. Por outro lado, a administração de uma quantidade igual de proteína vegetal não parece ter os mesmos efeitos. Comer carne, por exemplo, aumenta a carga de trabalho dos rins durante horas após o consumo, mas, aparentemente, lidar com a proteína vegetal parece não ser problema nenhum. Isso foi feito com carne de vaca, mas qualquer proteína animal vai fazer o mesmo. Coma uma refeição de atum e poderá ver o aumento da pressão nos seus rins a subir, novamente, em apenas horas, tanto para os não-diabéticos com rins normais como para diabéticos com rins normais. Se em vez de comer um sanduíche de salada de atum você comer uma sanduíche de salada de tofu com a mesma quantidade de proteína… não faz efeito. E a mesma coisa acontece com ovos e proteína de leite, tanto em pessoas com rins normais como doentes. Estudos a curto prazo indicaram que a substituição de proteínas animais por proteínas vegetais como a soja, está associado com menos hiperfiltração e vazamento de proteína, e, consequentemente, abrandando a deterioração da função renal. Contudo, o efeito a longo prazo não havia sido estudado adequadamente até que este estudo foi publicado em 2014. Um ensaio de 6 meses duplo-cego, randomizado, controlado por placebo, soja versus proteínas lácteas, e o consumo de soja integral tendeu a preservar a função renal, o funcionamento dos rins, em comparação com o leite, em indivíduos com função renal reduzida. Resultados semelhantes foram relatados em diabéticos. Mesmo dando apenas proteína da soja isolada pareceu melhorar a situação, em comparação com as proteínas lácteas, que pioraram as coisas. Uma vez que os próprios rins se deterioraram ao ponto em que estão ativamente a perder proteína na urina, uma dieta à base de plantas pode ajudar a desligá-lo e ligá-lo como um interruptor de luz. Aqui está o vazamento de proteína numa dieta padrão pobre em sódio, alternando com uma dieta vegana, pobre em sódio, vegana, pobre em sódio, vegana. O que é que se passa aqui? Por que motivo a proteína animal causa essa reação de sobrecarregamento, mas não a proteína vegetal? Parece ser uma resposta inflamatória despoletada pela proteína animal. Sabemos disso porque a administração de um fármaco anti-inflamatório poderoso abole a resposta à ingestão de carne, de hiperfiltração e de vazamento de proteínas. Aqui está a resposta típica dos rins em stress a uma refeição de carne, mas aqui está a resposta com a droga anti-inflamatória a bordo, confirmando o papel de inflamação no impacto da proteína animal sobre os nossos rins. Nutrição em Factos, a mais recente pesquisa em nutrição. Publicações em Português / traduções voluntárias em NF.FOCOEMPATICO.NET

Clique para baixar a transcrição da tradução de Que Tipo de Proteína é Melhor para os Nossos Rins

Recolher Transcrição

Imagens graças a jpmatth via Flickr.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *