Prevenção de Alzheimer com Mudanças do Estilo de Vida

Mudanças do estilo de vida poderiam potencialmente prevenir centenas de milhares de casos de Alzheimer todos os anos, e isto sem incluir a dieta e apenas nos Estados Unidos.

Se ainda não o fizeram, podem subscrever aos novos vídeos aqui

Notas do Dr. Michael Greger

A minha mãe morreu de Alzheimer. Vale a pena preveni-lo a todos os custos.

Cerca de metade dos casos de Alzheimer podem ser atribuídos a apenas aqueles 7 fatores de risco, e isso é sem incluir a dieta, pois havia tantos fatores alimentares que eles não conseguiram enfiá-los no seu modelo. Que papel desempenha a dieta? Esse é o tema do meu próximo vídeo, Prevenção da Doença de Alzheimer com Dieta.

Até agora, estes são alguns dos vídeos que fiz sobre prevenção e tratamento de demência:

Tem uma questão para o Dr. Greger sobre este vídeo? Deixe-a na secção de comentários do vídeo original e ele procurará responder-lhe!

Fontes citadas
Desenrole a Transcrição aqui

Prevenção de Alzheimer com Mudanças do Estilo de Vida

É seguro dizer que a pesquisa sobre a doença de Alzheimer está num estado de crise. Nas duas últimas décadas, mais de 73 mil artigos de pesquisa foram publicados, numa média de 100 artigos por dia, e contudo pouco progresso clínico foi feito. A razão pela qual uma cura poderá ser impossível é porque a perda das funções cognitivas em pacientes com doença de Alzheimer deve-se a redes neuronais fatalmente danificadas, e células nervosas mortas não podem ser trazidas de volta à vida. Por conseguinte, a substituição com novas células cerebrais mesmo que fosse tecnicamente possível, não pode ser feito sem a criação de uma nova identidade pessoal. Pode-se viver, mas será realmente uma cura se a personalidade da pessoa está perdida para sempre? O desenvolvimento de drogas que tentam limpar as placas da degeneração avançada de tecido cerebral faz tanto sentido como arrasar lápides de cemitério de escavadora numa tentativa de ressuscitar os mortos. Mesmo que as companhias farmacêuticas descobrissem como parar a progressão da doença, muitas vítimas de Alzheimer poderão não escolher viver sem reconhecerem a família, os amigos ou a si mesmos num espelho. Assim, a prevenção da doença de Alzheimer pode ser a chave. Assim como o ataque cerebral – AVC – ou o ataque cardíaco podem ser significativamente prevenidos, pode-se pensar na demência de Alzheimer como uma ”ataque mental” que tal como os ataques cardíacos ou os AVCs, precisa de ser evitado controlando-se fatores de risco vasculares, como a hipertensão arterial e o colesterol, controlando aquela hipoperfusão cerebral crónica, a falta de fluxo adequado de sangue para o cérebro ao longo dos anos antes do início da doença de Alzheimer, o que significa uma dieta saudável, exercício físico, e exercício mental. Aqui está o número potencial de casos de Alzheimer que podiam ser evitados todos os anos nos EUA se pudéssemos reduzir as taxas de diabetes 10% … 25%, porque a diabetes é um fator de risco para a doença de Alzheimer. Assim como o é a pressão arterial alta, a obesidade, a depressão, não exercitar o corpo, fumar, não exercitar o cérebro … Tudo junto, uma pequena redução em todos estes fatores de risco poderia potencialmente evitar centenas de milhares de famílias devastadas. Se os fatores modificáveis, como a dieta, fossem dados como conclusivos na modulação do risco de doença de Alzheimer no grau sugerido por esta investigação, então, todos nós, iríamos realmente regozijar-nos com as implicações. Nutrição em Factos, a mais recente pesquisa em nutrição. Publicações em Português / traduções voluntárias em NF.FOCOEMPATICO.NET

Clique aqui para baixar a transcrição

Recolher Transcrição

Imagens graças a Flood G. via Flickr.

[quickshare]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *