Ovos, Colina e Cancro

A colina poderá ser a razão pela qual o consumo de ovo está associado com a progressão de cancro da próstata e morte.

Se ainda não o fizeram, podem subscrever aos novos vídeos aqui

Notas do Dr. Michael Greger

Se você for um seguidor de longa data e alguma coisa lhe soar familiar, é porque tive que ir atrás de alguma desta informação sobre colina de modo a oferecer um contexto para o meu aparecimento no Dr. Oz Show. Um vídeo mais longo que cobre isto pode ser encontrado em Carnitina, Colina, Cancro e Colesterol: A Conexão TMAO. NO meu último vídeo, Ovos e Colina: Algo Cheira Mal, falei sobre o que a trimetilamina pode fazer ao odor corporal.

Quanto à prevenção da progressão do cancro da próstata, frango e ovos poderão ser os piores alimentos de se comer, mas quais poderão ser os melhores? Vejam o meu vídeo recente Sobrevivência ao Cancro da Próstata: O Rácio A/V.

Mais sobre as aminas heterocíclicas no frango e ovos em:

Para se prevenir o cancro da próstata antes do mais, veja vídeos tais como:

E quanto à reversão da progressão do cancro? Veja o trabalho do Dr. Ornish Reversão do Cancro pela Dieta?, seguido da Pritikin Foundation: Bioensaio Ex Vivo da Proliferação do Cancro. A linhaça também pode ajudar (Sementes de Linhaça vs. Cancro da Próstata).

Para mais contexto, veja a minha publicação no blog: Porquê o Link Ovo-Cancro?

Tem uma questão para o Dr. Greger sobre este vídeo? Deixe-a na secção de comentários do original Eggs, Choline, and Cancer e ele procurará responder-lhe!

Fontes citadas

E. L. Richman, S. A. Kenfield, M. J. Stampfer, E. L. Giovannucci, J. M. Chan. Egg, red meat, and poultry intake and risk of lethal prostate cancer in the prostate-specific antigen-era: Incidence and survival. Cancer Prev Res (Phila) 2011 4(12):2110 – 2121.

E. L. Richman, M. J. Stampfer, A. Paciorek, J. M. Broering, P. R. Carroll, J. M. Chan. Intakes of meat, fish, poultry, and eggs and risk of prostate cancer progression. Am. J. Clin. Nutr. 2010 91(3):712 – 721.

M. Johansson, B. Van Guelpen, S. E. Vollset, J. Hultdin, A. Bergh, T. Key, O. Midttun, G. Hallmans, P. M. Ueland, P. Stattin. One-carbon metabolism and prostate cancer risk: Prospective investigation of seven circulating B vitamins and metabolites. Cancer Epidemiol. Biomarkers Prev. 2009 18(5):1538 – 1543.

C. Nanni, E. Zamagni, M. Cavo, D. Rubello, P. Tacchetti, C. Pettinato, M. Farsad, P. Castellucci, V. Ambrosini, G. C. Montini, A. Al-Nahhas, R. Franchi, S. Fanti. 11C-choline vs. 18F-FDG PET/CT in assessing bone involvement in patients with multiple myeloma. World J Surg Oncol 2007 5:68.

E. L. Richman, S. A. Kenfield, M. J. Stampfer, E. L. Giovannucci, S. H. Zeisel, W. C. Willett, J. M. Chan. Choline intake and risk of lethal prostate cancer: Incidence and survival. Am. J. Clin. Nutr. 2012 96(4):855 – 863.

E. Ackerstaff, B. R. Pflug, J. B. Nelson, Z. M. Bhujwalla. Detection of increased choline compounds with proton nuclear magnetic resonance spectroscopy subsequent to malignant transformation of human prostatic epithelial cells. Cancer Res. 2001 61(9):3599 – 3603.

Recolher Fontes

Desenrole a Transcrição aqui

Ovos, Colina, e Cancro

Dois milhões de homens nos EUA estão a viver com cancro da próstata, mas isso é melhor do que morrer de cancro da próstata. Apanhem-no enquanto está localizado e a sua sobrevivência em 5 anos é praticamente garantida, mas uma vez que se começa realmente a espalhar as suas chances caem para 1 em cada 3. Logo, a identificação de factores modificáveis que afectam a progressão do cancro da próstata é algo que merece estudo.
Assim, os pesquisadores de Harvard pegaram em mais de mil homens com cancro de próstata em fase inicial, e seguiram-nos por um par de anos para ver se havia alguma coisa na sua dieta associada a um ressurgimento do cancro, como tipo espalhar-se para os ossos. Em comparação com homens que quase não comeram nenhuns ovos, os homens que comiam até mesmo menos de um único ovo por dia tiveram um aumento significativo de 2 vezes mais no risco de progressão do cancro da próstata. A única coisa pior foi o consumo de aves — até 4 vezes o risco de progressão entre homens com elevado risco. Eles pensam que possa ser dos cancerígenos da carne cozinhada — as aminas heterocíclicas que por algum motivo se acumulam mais nos músculos de frango e peru do que noutras carnes.
Mas e porquê os ovos? Porque haveria um consumo de ovos de menos de uma vez por dia duplicar o risco de progressão do cancro? Poderá ser da colina. “Um mecanismo plausível que pode explicar a associação” “entre ovos e a progressão de cancro de próstata é colina elevada na dieta.” O consumo de ovos é um determinante de quanta colina se tem no sangue, e colina elevada no sangue tem sido associado com um maior risco de se desenvolver cancro da próstata. Assim, a colina nos ovos pode tanto aumentar o risco de o desenvolver como depois de o espalhar, e também dele acabar por nos matar.
“Ingestão de colina e risco de cancro de próstata letal.” O consumo de colina associado com não apenas desenvolver cancro e espalhar cancro, mas também o risco significativamente aumentado de se morrer dele. Aqueles que comeram mais tinham um risco aumentado em 70% de cancro da próstata letal. Outro estudo recente descobriu que os homens que consumiram 2 ovos e meio ou mais por semana — que é tipo um ovo a cada três dias — tiveram um aumento de 81% no risco de cancro da próstata letal. Agora, podia ser apenas do colesterol nos ovos aquilo que estava a aumentar o risco de cancro fatal, mas também podia ser da colina. Talvez seja por isso que carne, leite e ovos tenham todos sido associados uma vez ou outra com cancro de próstata avançado, por causa da colina. De facto, a colina está tão concentrada em células cancerosas que, se se seguir a captação de colina, pode-se rastrear a propagação do cancro ao longo do corpo.
Mas porque pode a colina na dieta aumentar o risco de cancro da próstata letal? Lembre-se, a colina na dieta é convertida no intestino em trimetilamina, e assim os pesquisadores de Harvard especularam que a TMAO da elevada ingestão de colina na dieta pode aumentar a inflamação e isto pode promover a progressão do cancro da próstata em doença letal. No New England Journal of Medicine, essa mesma equipa de pesquisa da clínica de Cleavland que fez o famoso estudo sobre carnitina, repetiu o estudo, mas desta vez em vez de alimentarem as pessoas com um bife, deram-lhes alguns ovos cozidos. E tal como suspeitaram, houve um aumento semelhante daquele tóxico TMAO. Portanto, não é apenas a carne vermelha. E a ligação entre os níveis de TMAO no sangue e derrames, ataques cardíacos e morte, foi observada mesmo em grupos de baixo risco como aqueles com níveis de colesterol de baixo risco. E então, comer ovos pode aumentar o nosso risco, independentemente de quanto temos de colesterol, por causa da colina.
É irónico que o conteúdo de colina nos ovos é algo do qual a indústria dos ovos, na verdade, se gaba. E a indústria está ciente dos dados sobre cancro. Através do Freedom of Information Act pude meter as minhas mãos num e-mail do diretor-executivo do Centro de Nutrição do Ovo da indústria para um executivo do Conselho Americano para o Ovo a falar sobre como a colina pode ser um culpado na promoção da progressão do cancro: “Certamente algo que vale a pena manter em mente, à medida que continuamos a promover a colina como outra boa razão para se consumir ovos.” Nutrição em Factos, o mais recente em pesquisa de nutrição. Publicações em Português em Nutricao-em-Fatos.org
Recolher Transcrição

Imagem graças a MrX via Wikimedia Commons.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *