Obesidade e Diabetes: O Efeito de Transbordamento (Spillover)

Ser obeso pode resultar em tanta resistência à insulina quanto comer uma refeição rica em gordura.

Se ainda não o fizeram, podem subscrever aos novos vídeos aqui

Notas do Dr. Michael Greger

O que é que “prejudicar a via dos receptores de insulina” significa? Vejam a prequela: O que Causa Resistência à Insulina? E a sequela, Lipotoxicidade: Como a Gordura Saturada Eleva o Açúcar no Sangue, aborda os tipos de gordura e os seus efeitos.

A gordura que derrama para a nossa corrente sanguínea também pode conter poluentes lipo-solúveis que se acumulam pela nossa dieta: Poluentes em Salmão e na Nossa Própria Gordura.

O efeito spillover [transbordamento] também pode explicar o aumento no risco de doença cardíaca associado à obesidade: Dietas Baixas em Carboidratos e Fluxo Sanguíneo Coronário.

Tem uma questão para o Dr. Greger sobre este vídeo? Deixe-a na secção de comentários do original The Spillover Effect Links Obesity to Diabetes e ele procurará responder-lhe!

Fontes citadas
Desenrole a Transcrição aqui

Obesidade a Diabetes: O Efeito de Transbordamento (Spillover)

Ácidos gordos livres — o que significa gordura que circula livremente na corrente sanguínea, não empacotada em triglicéridos — resulta em inflamação: produtos tóxicos da degradação de gordura e stress oxidativo, que podem prejudicar a via dos receptores de insulina e levar a resistência à insulina nos músculos. E a resistência à insulina é aquilo que causa pré-diabetes e diabetes tipo 2.
À medida que o nível de gordura no sangue sobe, a capacidade do corpo para limpar o açúcar do nosso sangue diminui. De onde está a vir essa gordura no nosso sangue que está a causar toda essa catástrofe? Vem da gordura que comemos e da gordura que vestimos. O número de células de gordura que temos permanece constante na vida adulta. É interessante – a maneira como eles descobriram isso foi através da medição da quantidade de carbono radioactivo preso no nosso DNA de todos os testes com bombas nucleares. De qualquer forma, após uma perda de peso maciça, as nossas células de gordura encolhem enquanto descarregam a gordura, mas o número permanece o mesmo. Por outro lado, quando ganhamos peso, as nossas células de gordura simplesmente esticam à medida que guardamos mais e mais gordura em cada célula de gordura individual.
E então, quando a nossa barriga, rabo ou coxas ficam grandes não estamos a adicionar mais células de gordura mas apenas a entulhar mais gordura em cada célula. A certo ponto as nossas células tornam-se tão inchadas que derramam gordura de volta para a corrente sanguínea. Esta é uma ilustração do chamado efeito de transbordamento (spillover). Não só a pessoa obesa têm mais gordura no corpo, como está constantemente a derramar essa gordura para a corrente sanguínea. De modo que essa poderia ser a ligação entre obesidade e diabetes.
A gordura derrama para fora das nossas células de gordura e aloja-se nas nossas células musculares, levando à resistência à insulina que promove o aparecimento de diabetes do tipo 2. Ou a gordura pode entrar na nossa corrente sanguínea pela nossa boca. Se se colocar as pessoas numa dieta baixa em carboidratos, a gordura acumula-se nos seus músculos dentro de duas horas, em comparação com uma dieta de baixo teor de gordura, e a sensibilidade à insulina diminui. E quanto mais gordura no músculo, menor é a capacidade de se limpar o açúcar do sangue. Não são precisos anos para que isso aconteça; apenas horas após os alimentos gordurosos entrarem nas nossas bocas, o nosso corpo já tem problemas em usar insulina.
Uma dieta rica em gordura pode aumentar a gordura no sangue e este aumento é acompanhado de uma diminuição na sensibilidade à insulina. Estudos demonstram claramente que a gordura no sangue inibe directamente o transporte de açúcar no sangue e o seu uso nos nossos músculos, os quais são responsáveis por limparem cerca de 85% do açúcar do sangue.
Estas descobertas também indicam um papel importante da nutrição, particularmente o aumento do consumo de gordura, no desenvolvimento de resistência à insulina. Normalmente temos apenas 10 a 50 micromoles de gordura livre a flutuarem na nossa corrente sanguínea num qualquer momento, mas aqueles que são obesos estão constantemente a derramar gordura para a sua corrente sanguínea. Mas podemos chegar a esses mesmos níveis no nosso sangue comendo uma dieta rica em gordura. Assim, uma pessoa magra a comer uma dieta baixa em carboidratos pode ter o mesmo nível de gordura no seu sangue que as pessoas obesas.
Similarmente, ser obeso é como comer uma dieta horrível de bacon e manteiga durante todo o dia, porque as pessoas obesas estão constantemente a derramar gordura na sua corrente sanguínea não importa o que entre na sua boca. Nutrição em Factos, o mais recente em pesquisa de nutrição. Publicações em Português em Nutricao-em-Fatos.orgRecolher Transcrição

Imagem graças a FBellon via flickr.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *