As Drogas de Estatinas para Baixar o Colesterol Causam Cancro da Mama?

Estatinas, cancro da mama, colesterol e dieta

O que é que o cancro da mama tem a ver com o colesterol? Existem muitos potenciais mecanismos pelos quais o colesterol impulsiona o crescimento do cancro da mama. Por exemplo, os nossos corpos fazem estrogénio, que está correlacionado com um risco aumentado de cancro da mama, a partir de colesterol. Nós também empacotamos colesterol em LDL, o qual, como você pode ver no meu vídeo Cholesterol Feeds Breast Cancer Cells, parece aumentar a proliferação do cancro e diminuir a sobrevivência do paciente.

O colesterol é um componente principal das “balsas lipídicas”. Em comparação com os seus correspondentes normais, as células cancerosas têm níveis mais elevados destas balsas lipídicas ricas em colesterol na sua membrana plasmática, os quais podem ser importantes para a sobrevivência de células cancerosas e podem servir no desenvolvimento de cancro humano em termos de migração e invasão de tumor. Níveis elevados de balsas lipídicas ricas em colesterol foram encontrados em células de cancro da mama, e a hipótese é que a redução dos níveis de colesterol no sangue “pode ​​perturbar a formação de balsas lipídicas e, assim, inibir o desenvolvimento de cancro da mama.” Isto sugere que o foco no colesterol pode ser utilizado como uma terapia para o cancro.

Experimentos de laboratório controlados mostraram que os fitosterois em sementes e nozes em níveis dietéticos relevantes parecem inibir o crescimento de vários tipos de células tumorais, incluindo células de cancro da mama, incluindo tanto cancro de receptores de estrogénio positivos como receptores de estrogénio negativos. As implicações terapêuticas são de que “dietas à base de plantas ricas em fitoesterois podem oferecer proteção contra o desenvolvimento de cancro da mama.” Claro, não se pode fazer muito dinheiro em sementes de abóbora, e por isso os pesquisadores olharam para drogas de estatinas para baixar o colesterol (este estudo está destacado no meu vídeo, Statin Cholesterol Drugs and Invasive Breast Cancer).

Algum trabalho em placas de Petri parecia promissor, mas estudos populacionais têm mostrado resultados mistos. Alguns estudos mostraram que as mulheres sob estatinas tinham diminuído o risco de cancro da mama, alguns mostraram aumento de risco, e a maioria não mostrou associação. Estes foram todos estudos de relativamente curto prazo, contudo. O uso de estatinas a “Longo prazo” foi definido como, na maior parte, sendo de apenas três a cinco anos, mas o cancro da mama pode levar décadas para crescer. O único estudo que analisou dez ou mais anos de uso de estatinas incluiu apenas 62 casos.

Dado o aumento do uso de estatinas ao longo das últimas décadas, e o fato de que eles são comummente prescritos para serem tomados todos os dias para o resto da vida das mulheres, os estudos publicados até à data tinham capacidade limitada para avaliar o impacto do uso de longas durações. É melhor resolvermos isto: cerca de uma em cada quatro mulheres com mais de 45 anos neste país estão sob estas drogas.

Mas tudo isso mudou com a publicação de um estudo realizado em 2013, que incluía milhares de casos de cancro da mama. Usuários de estatinas a longo termo – mulheres a tomarem estatinas durante dez anos ou mais – tinham mais do que o dobro do risco de ambos os tipos principais de cancro da mama: carcinoma ductal invasivo e carcinoma lobular invasivo. Uma vez que as mulheres desenvolvem cancro da mama, contudo, estudos recentes na Finlândia e no Reino Unido sugerem que o uso de estatinas pode melhorar a sobrevivência.

O assassino número um das mulheres é a doença cardíaca, não o cancro da mama, e então ainda precisamos de fazer descer os níveis de colesterol. Poderá haver um modo de obter os benefícios da redução de colesterol sem os riscos? Têm-se mostrado que dietas à base de plantas reduzem o colesterol LDL em mais de 30%, em apenas um par de semanas, o equivalente à maioria de drogas de estatina padrão para baixar o colesterol e sem qualquer risco de cancro da mama.

Do modo como vão as drogas, as estatinas são extraordinariamente seguras, mas ainda podem apresentar efeitos colaterais raros mas graves em homens e mulheres (Statin Muscle Toxicity).

Como podemos reduzir o colesterol sem drogas? É puramente uma questão de dieta. Podemos diminuir o nosso colesterol pela redução na ingestão de três coisas: gordura trans, gordura saturada, e colesterol: ingestão máxima tolerável de Zero. Onde se encontram as gorduras trans? Trans Fat In Meat And Dairy. Onde é o colesterol encontrado? Predominantemente ovos: Eggs and Cholesterol: Patently False and Misleading Claims. Existem também alguns alimentos especialmente vocacionados para baixar os níveis de colesterol:

PS: Se ainda não o fez, pode subscrever aos meus vídeos gratuitamente aqui e ver as minhas apresentações ao vivo de análise anual:

– Dr. Michael Greger

Crédito de imagem: Ana C. / Flickr

Atribuições

As Drogas de Estatinas para Baixar o Colesterol Causam Cancro da Mama?

Traduzido do original “Do Cholesterol Statin Drugs Cause Breast Cancer?”, escrito por Dr. Michael Greger a 16 de Julho de 2015 no blog de nutrição médica do Dr. Greger em NutritionFacts.org

Recolher Atribuições

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *