Como Prevenir Doença Hepática Gordurosa Não Alcoólica

Evite alimentos carregados de açúcar e colesterol para reduzir o risco da nossa causa mais comum de doença hepática crónica.

Se ainda não o fizeram, podem subscrever aos novos vídeos aqui

Notas do Dr. Michael Greger

Este é um daqueles vídeos fundamentais que devia ter estado no site há anos. Como aquele da gota (Prevenindo Ataques de Gota com Dieta (Legendado em Português)). Doenças tão comuns, mas demorou-me imenso para cobri-las de modo aprofundado. Estou tão contente por estarem os dois publicados.

Para mais sobre o quão mau para nós são os açúcares adicionados, vejam:

Para mais sobre o quão mau o colesterol pode ser:

Tem uma questão para o Dr. Greger sobre este vídeo? Deixe-a na secção de comentários do original How to Prevent Non-Alcoholic Fatty Liver Disease e ele procurará responder-lhe!

Fontes citadas

E M McCarthy, M E Rinella.The role of diet and nutrient composition in nonalcoholic Fatty liver disease. J Acad Nutr Diet. 2012 Mar;112(3):401-9.

S Zelber-Sagi, D Nitzan-Kaluski, R Goldsmith, M Webb, L Blendis, Z Halpern, R Oren. Long term nutritional intake and the risk for non-alcoholic fatty liver disease (NAFLD): a population based study. J Hepatol. 2007 Nov;47(5):711-7.

M D Kontogianni, N Tileli, A Margariti, M Georgoulis, M Deutsch, D Tiniakos, E Fragopoulou, R Zafiropoulou, Y Manios, G Papatheodoridis. Adherence to the Mediterranean diet is associated with the severity of non-alcoholic fatty liver disease. Clin Nutr. 2014 Aug;33(4):678-83.

G N Ioannou, O B Morrow, M L Connole, S P Lee. Association between dietary nutrient composition and the incidence of cirrhosis or liver cancer in the United States population. Hepatology. 2009 Jul;50(1):175-84.

M B Vos. Nutrition, nonalcoholic fatty liver disease and the microbiome: recent progress in the field. Curr Opin Lipidol. 2014 Feb;25(1):61-6.

L Valenti, P Riso, A Mazzocchi, M Porrini, S Fargion, C Agostoni. Dietary anthocyanins as nutritional therapy for nonalcoholic fatty liver disease. Oxid Med Cell Longev. 2013;2013:145421.

G Musso, R Gambino, F De Michieli, M Cassader, M Rizzetto, M Durazzo, E Fagà, B Silli, G Pagano. Dietary habits and their relations to insulin resistance and postprandial lipemia in nonalcoholic steatohepatitis. Hepatology. 2003 Apr;37(4):909-16.

K Yasutake, M Nakamuta, Y Shima, A Ohyama, K Masuda, N Haruta, T Fujino, Y Aoyagi, K Fukuizumi, T Yoshimoto, R Takemoto, T Miyahara, N Harada, F Hayata, M Nakashima, M Enjoji. Nutritional investigation of non-obese patients with non-alcoholic fatty liver disease: the significance of dietary cholesterol. Scand J Gastroenterol. 2009;44(4):471-7.

G N Ioannou, W G Haigh, D Thorning, C Savard. Hepatic cholesterol crystals and crown-like structures distinguish NASH from simple steatosis. J Lipid Res. 2013 May;54(5):1326-34.

E J Kim, B H Kim, H S Seo, Y J Lee, H H Kim, H H Son, M H Choi. Cholesterol-induced non-alcoholic fatty liver disease and atherosclerosis aggravated by systemic inflammation. PLoS One. 2014 Jun 5;9(6):e97841.

S Zelber-Sagi, F Salomone, H Yeshua, R Lotan, M Webb, Z Halpern, E Santo, R Oren, O Shibolet. Non-high-density lipoprotein cholesterol independently predicts new onset of non-alcoholic fatty liver disease. Liver Int. 2014 Jul;34(6):e128-35.

W Z Mehal. The Gordian Knot of dysbiosis, obesity and NAFLD. Nat Rev Gastroenterol Hepatol. 2013 Nov;10(11):637-44.

K Ray. NAFLD-the next global epidemic. Nat Rev Gastroenterol Hepatol. 2013 Nov;10(11):621.

H Suda, F Ishikawa, M Hatakeyama, M Miyawaki, T Kudo, K Hirano, A Ito, O Yamakawa, S Horiuchi. Intake of purple sweet potato beverage affects on serum hepatic biomarker levels of healthy adult men with borderline hepatitis. Eur J Clin Nutr. 2008 Jan;62(1):60-7.

L Longato. Non-alcoholic fatty liver disease (NAFLD): a tale of fat and sugar? Fibrogenesis Tissue Repair. 2013 Jul 18;6(1):14.

S Kechagias, A Ernersson, O Dahlqvist, P Lundberg, T Lindström, F H Nystrom; Fast Food Study Group. Fast-food-based hyper-alimentation can induce rapid and profound elevation of serum alanine aminotransferase in healthy subjects. Gut. 2008 May;57(5):649-54.

P Duewell, H Kono, K J Rayner, C M Sirois, G Vladimer, F G Bauernfeind, G S Abela, L Franchi, G Nuñez, M Schnurr, T Espevik, E Lien, K A Fitzgerald, K L Rock, K J Moore, S D Wright, V Hornung, E Latz. NLRP3 inflammasomes are required for atherogenesis and activated by cholesterol crystals. Nature. 2010 Apr 29;464(7293):1357-61.

G Marchesini, S Moscatiello, F Agostini, N Villanova, D Festi. Treatment of non-alcoholic fatty liver disease with focus on emerging drugs. Expert Opin Emerg Drugs. 2011 Mar;16(1):121-36.

Recolher Fontes

Desenrole a Transcrição aqui

Como Prevenir Doença Hepática Gordurosa Não Alcoólica

No documentário, Supersize Me, Morgan Spurlock come exclusivamente no McDonalds durante um mês, e, previsivelmente, o seu peso, pressão arterial e colesterol sobem, mas também as suas enzimas hepáticas, um sinal de que as suas células hepáticas estão a morrer e a derramar o seu conteúdo na corrente sanguínea. A sua experiência a solo foi de facto formalmente replicada. Um grupo de homens e mulheres concordaram comer duas refeições de fast-food por dia durante um mês, e a maioria de seus valores do fígado começaram normais, a menos de 30 aqui para os homens, mas em apenas uma semana, a maior parte ficou descontrolada, uma profunda elevação patológica em danos no fígado. O que está a acontecer é DHGNA, doença hepática gordurosa não alcoólica, a próxima epidemia global. Depósitos de gordura no fígado podem resultar num espectro de doenças – desde acúmulo assintomático de gordura, a EHNA, esteatohepatite não-alcoólica, que pode levar a lesões do fígado e cirrose, o que pode resultar em cancro do fígado, insuficiência hepática, e morte. É agora a causa mais comum de doença hepática crónica nos EUA, afetando 70 milhões de americanos – isso é como um em cada três adultos. E a fast food é uma ótima maneira de a desenvolver, uma vez que está associada à ingestão de refrigerantes e carne. Uma lata de refrigerante por dia pode aumentar as chances de fígado gordo em 45%, e aqueles que comem o equivalente a 14 nuggets de frango em carne por dia têm quase o triplo das taxas de fígado gorduroso em comparação com tipo sete nuggets ou menos. Tem sido caracterizada como uma história de gordura e açúcar, mas evidentemente não todos os tipos de gordura. Aqueles com hepatite gordurosa comiam mais gordura animal e colesterol, e menos gordura vegetal, fibras e antioxidantes, o que pode explicar porque a adesão a uma dieta de estilo mediterrânico, caracterizado pelo elevado consumo de alimentos como frutas, vegetais, cereais integrais, e feijões está associada com doença hepática gordurosa não alcoólica menos grave, talvez por causa dos efeitos anti-inflamatórios e anti-oxidantes. Talvez por causa de fitonutrientes específicos, como os pigmentos de antocianinas vermelhas, azuis, roxas em bagas e uvas, e ameixas, couve roxa, cebola roxa, radicchio. Estes alimentos ricos em antocianinas podem ser promissores para a prevenção de figado gordo, mas isso é principalmente com base em experiências em placas de Petri. Houve um ensaio clínico que descobriu que beber uma bebida de batata-doce roxa parecia reduzir com sucesso a inflamação do fígado, contudo. Uma dieta mais à base de plantas também pode melhorar o nosso microbiome, as boas bactérias no nosso intestino. O velho ditado, “nós somos aquilo que comemos” poderá estar a mudar para “nós somos o que as nossas bactérias comem.” E quando comemos gordura, podemos facilitar o crescimento de bactérias más, que podem libertar moléculas inflamatórias que aumentam a permeabilidade do nosso intestino e contribuem para a doença hepática gordurosa. A doença hepática gordurosa pode também ser causada pela sobrecarga de colesterol. O pensamento é que o colesterol dietético encontrado em ovos, carne e produtos lácteos oxida e, em seguida, faz uma regulação ascendente do receptor hepático X alfa, o qual pode regular de forma ascendente outra coisa chamada SREBP, a qual pode aumentar o nível de gordura no fígado. Cristais de colesterol por si só fazem com que glóbulos brancos humanos derramem compostos inflamatórios, tal qual os cristais de ácido úrico em gota. É isso o que pode estar a desencadear a progressão de fígado gordo simples em hepatite grave, a acumulação de concentrações suficientes de colesterol livre dentro de células de fígado gordo a causarem a cristalização do colesterol, uma de várias linhas recentes de evidências sugerindo que o colesterol na dieta desempenha um papel importante no desenvolvimento de hepatite gordurosa, inflamação do fígado gordo. Num estudo com 9.000 adultos americanos seguidos por 13 anos, encontraram uma forte associação entre a ingestão de colesterol dietético e hospitalização e morte por cirrose e cancro de fígado, uma vez que o colesterol dietético pode oxidar e causar efeitos tóxicos e cancerígenos. Para limitar a toxicidade do excesso de colesterol derivado da dieta, o fígado tenta livrar-se do colesterol ao descarregá-lo na corrente sanguínea, e assim ao medir-se o colesterol não-HDL no sangue pode-se prever o aparecimento de doença do fígado gorduroso. Se se subtrair o HDL do colesterol total, nenhuma das centenas de pessoas que eles seguiram com um valor abaixo de 130 desenvolveram a doença. As empresas farmacêuticas veem a doença hepática gordurosa não alcoólica como uma mina de ouro, como é o caso de qualquer doença de afluência, considerando a sua já elevada e crescente prevalência, a necessitar de tratamento farmacológico contínuo. Mas talvez seja tão fácil como mudar a nossa dieta, evitar alimentos açucarados e carregados de colesterol. A verdade desagradável ao palato é que a doença hepática gordurosa não alcoólica poderia ser quase considerada o equivalente humano de foie gras, já que “alimentamos à força” nós mesmos com alimentos que podem resultar em implicações graves para a saúde. Contudo, ter uma tal textura amanteigada em fígados humanos não é uma iguaria para ser apreciada pelos médicos do fígado na prática clínica uma vez que pode ter consequências tão graves. Nutrição em Factos, a mais recente pesquisa em nutrição Publicações em Português em Nutricao-em-Fatos.org
Recolher Transcrição

Imagem graças a http://englishflyers.wordpress.com/

Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *