Dioxinas Armazenadas na Nossa Própria Gordura Podem Aumentar o Risco de Diabetes

Consumo de peixe pode aumentar o risco de diabetes tipo 2 - Nutrição em Factos

Encontrar taxas de diabetes mais elevadas entre aqueles fortemente expostos a poluentes tóxicos, tais como os expostos ao Agente Laranja, a explosões na indústria química, a depósitos de lixo tóxico, ou metais pesados ​​em peixes dos Grandes Lagos, é uma coisa. Será que a mesma ligação seria encontrada numa amostragem aleatória da população em geral? Sim. Foi encontrada uma forte relação dose-dependente entre os níveis destes poluentes a circularem no sangue das pessoas e diabetes. Aqueles com os níveis mais elevados de poluentes na corrente sanguínea tinham 38 vezes mais probabilidade de diabetes.

Curiosamente, não houve “nenhuma associação entre obesidade e diabetes entre os indivíduos com níveis não detetáveis ​​de poluentes.” Por outras palavras, “a obesidade era um fator de risco para diabetes apenas se as pessoas tinham concentrações sanguíneas destes poluentes acima de um certo nível.” Sabemos que a obesidade nos predispõe para diabetes, mas de acordo com este estudo, destacado no meu vídeo, Diabetes e Dioxinas, isto talvez seja verdade somente se nossos corpos estiverem contaminados com poluentes industriais. Esta constatação sugere que virtualmente todo o risco de diabetes conferido pela obesidade é atribuível a estes poluentes, e que a obesidade poderá ser apenas um veículo para os tais produtos químicos. Poderíamos nós estar a transportar a nossa própria lixeira de resíduos tóxicos nas nossas ancas?

Agora, é perfeitamente possível que os seis poluentes para os quais eles olharam não estivessem relacionados de forma causal com a diabetes. Em vez disso, eles podem ser apenas sinais de exposição a uma mistura de produtos químicos. Afinal de contas, 90% destes poluentes na nossa dieta vêm de alimentos de origem animal. Exceto para os indivíduos que vivem ou trabalham em torno de instalações industriais onde esses produtos químicos foram utilizados ou despejados, a fonte mais comum de exposição aos PCBs é a dieta, os alimentos de origem animal, especialmente peixe e mariscos. A forte relação que os pesquisadores descobriram entre certos poluentes e diabetes pode apenas estar a apontar para outros contaminantes em produtos de origem animal.

Se estes poluentes são particularmente encontrados em peixe e marisco, estarão as pessoas que comem peixe em maior risco de desenvolverem diabetes? Veja os meus vídeos Peixe e Diabetes, e Poluentes em Salmão e na Nossa Própria Gordura.

Para mais quanto a dioxinas, veja:

Para mais sobre PCB, veja:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *