Curcumina da Curcuma e Cancro do Colon

Que papel poderá a especiaria curcuma desempenhar tanto na prevenção de pólipos pré-cancerosos como no tratamento de cancro colorretal?

Se ainda não o fizeram, podem subscrever aos novos vídeos aqui

Notas do Dr. Michael Greger

As baixas taxas de cancro na Índia poderão estar também relacionadas com o consumo de fitatos – Fitatos para a Prevenção de Cancro e com as dietas baseadas em plantas, De Volta às Nossas Raízes: Caril e Cancro.

Mais sobre curcuma e cancro em Efeitos da Curcuma Bloqueadores de Cancerígenos e Curcumina da Curcuma Reprograma a Morte de Células de Cancerosas.

Dada a pobre absorção sistémica de compostos da curcuma, que outros cancros para além do do trato digestivo poderão ser diretamente afetados? Vejam o meu vídeo Aplicação Tópica de Curcumina da Curcuma para Cancro.

Tem uma questão para o Dr. Greger sobre este vídeo? Deixe-a na secção de comentários no link original e ele procurará responder-lhe!

Fontes citadas
Desenrole a Transcrição aqui

Curcumina da Curcuma e Cancro do Colon

A baixa incidência de cancro do intestino grosso e do intestino delgado na Índia é muitas vezes atribuída a antioxidantes naturais, tais como a curcumina na sua dieta, o pigmento amarelo na especiaria curcuma, o qual é utilizado no pó de caril. Contudo, é imperativo lembrar que os efeitos benéficos atribuídos a dietas raramente são reproduzidos pela administração de um único ingrediente daquela dieta. Por exemplo, dietas ricas em beta-caroteno diminuem o risco de cancros relacionados com o tabaco, mas não a administração de suplementos de betacaroteno. Isso não impede os pesquisadores de tentarem, contudo. Em 2001, numa última tentativa de salvar as vidas de 15 pacientes com cancro colorretal avançado que não respondeu a qualquer dos agentes de quimioterapia padrão ou à radiação, eles iniciaram-nos num extrato de curcuma. Pareceu ajudar a travar a doença em um terço dos pacientes, 5 em 15, sugerindo que o extrato de açafrão pode causar benefício clínico em pelo menos alguns pacientes com cancro colorretal avançado refratário. Agora, se estivéssemos a falar de um novo tipo de quimioterapia, e só tivesse ajudado um em cada três, teríamos que pesar isso contra os efeitos colaterais de quimioterapia, perdendo o cabelo, “descamação” do intestino, vómito intratável, talvez ancorado a uma cama. Assim, num cenário de medicação, um benefício em um em cada três pode não soar particularmente apelador, mas quando estamos a falar de um extrato de uma planta demonstrado como sendo extremamente seguro, mesmo que apenas tenha ajudado 1 em 100, valeria a pena considerar. Sem desvantagens graves, um benefício em um em cada três para um cancro em estágio terminal é muito excitante. Para se ver se o cancro do colon poderia ser prevenido, cinco anos depois, pesquisadores da Cleveland Clinic e Hopkins testaram dois fitoquímicos, curcumina (a partir de curcuma) e quercetina (encontrada em cebolas vermelhas e vinho tinto), em pessoas com polipose adenomatosa familiar. O cancro do colon forma-se a partir de pólipos, e há esta doença que ocorre em famílias em que se desenvolve centenas de pólipos, que acabarão por se transformar em cancro a menos que se tenha o colon profilaticamente removido. Então eles pegaram em cinco desses pacientes que já tinham os seus colons removidos, mas ainda tinham ou o seu reto ou uma pequena bolsa intestinal, os quais ainda estavam cheios de pólipos. Foi nesta situação que eles começaram: entre 5 e 45 pólipos cada um; e foi aqui onde acabaram, após seis meses de suplementos de curcumina e quercetina. Em média, acabaram com menos da metade dos pólipos, e aqueles que restaram, encolheram pela metade. Aqui está uma fotografia endoscópica representativa antes-e-depois. Tipo: agora vê se; agora não. Mas e o paciente número um? Livrou-se de todos os seus pólipos ao terceiro mês, mas, depois, pareceram voltar. Então eles perguntaram-lhe o que é que se passava, e descobriu-se que o paciente parou de tomar os suplementos. O danado! Então, colocaram-no novamente nos suplementos de fitonutrientes por mais três meses, e os pólipos voltaram a diminuir, tudo praticamente sem eventos adversos e nenhuma anormalidade nas análises de sangue. Ao estudar-se pessoas com elevado risco de cancro do colon foram capazes de mostrar efeitos visíveis em poucos meses. Mas a polipose é uma doença rara; eles conseguiram recrutar apenas cinco pessoas para o estudo. Felizmente, os fumadores são muito comuns. Outros cinco anos mais tarde, os pesquisadores colocaram 44 fumadores em suplementos apenas de curcumina / curcuma, durante um mês e mediram as alterações no seu aberrant crypt foci colo-retal que podem atuar como precursores dos pólipos, que são os precursores de cancro. E podemos ver após apenas um mês que houve uma queda significativa do número destes crypt foci anormais no grupo de dose elevada de suplementos mas nenhuma alteração no grupo de dose baixa, sem efeitos secundários que limitam a dose, embora as fezes dos participantes tenham… … ficado amarelas. Nutrição em Factos, a mais recente pesquisa em nutrição. Publicações em Português / traduções voluntárias em NF.FOCOEMPATICO.NET

Clique para baixar a transcrição da tradução de Curcumina da Curcuma e Cancro do Colon

Recolher Transcrição

Imagens graças a Simon A. Eugster via wikimedia commons, HollywoodPimp via Flickr e DAVE Project.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *