Curando Neuropatia Diabética Dolorosa

Diabéticos que sofrem de dores nos nervos durante anos curaram-se em seguida em poucos dias com uma dieta à base de plantas.

Se ainda não o fizeram, podem subscrever aos novos vídeos aqui

Notas do Dr. Michael Greger

E quanto a reverter a perda de visão diabética? Vejam: A Retinopatia Diabética pode ser Revertida?

Pensava simplesmente que a gordura trans estava em alimentos parcialmente hidrogenados? Veja: Gordura Trans em Carne e Laticínios. Idealmente reduziríamos o nosso consumo o máximo possível (Gordura Trans, Gordura Saturada, e Colesterol: Máxima Ingestão Tolerável de Zero).

A melhor forma de prevenir complicações diabéticas é prevenir a diabetes em primeiro lugar:

E depois revertê-la (série completa legendada em português):

Tem uma questão para o Dr. Greger sobre este vídeo? Deixe-a na secção de comentários do original Curing Painful Diabetic Neuropathy e ele procurará responder-lhe!

Fontes citadas
Desenrole a Transcrição aqui

Curando neuropatia diabética dolorosa

A neuropatia, ou danos aos nervos, é uma doença debilitante. A diabetes é, de longe, a causa mais comum. Até 50% dos diabéticos acabarão por desenvolver neuropatia no decurso de sua doença. Pode ser muito dolorosa, e a dor frequentemente resiste aos tratamentos convencionais. Na verdade, atualmente não existe tratamento eficaz para a neuropatia diabética. Os médicos dependem de esteroides, opiáceos e antidepressivos para tentar amenizar o sofrimento. Mas há 20 anos atrás, foi publicado um estudo notável sobre a regressão da neuropatia diabética a partir de uma dieta à base de plantas. Existem dois tipos de neuropatia diabética: um, relativamente indolor, caracterizado por dormência, formigamento e sensação de alfinetadas, e há um segundo tipo, com sensações de ardor ou dor que chega a ser insuportável, lancinante – como uma punhalada. Este estudo concentrou-se no tipo doloroso. Vinte e um diabéticos que sofriam de neuropatia dolorosa de moderada a grave por até dez anos foram colocados numa dieta de alimentos integrais à base de plantas juntamente com uma caminhada de meia hora todos os dias. Anos e anos de sofrimento, e depois… alívio completo da dor em 17 dos 21 pacientes em poucos dias. A dormência também melhorou visivelmente e os efeitos colaterais foram todos bons. Perderam 4,5 quilos, o açúcar no sangue melhorou, a necessidade de insulina caiu pela metade, e em cinco dos pacientes não apenas a neuropatia dolorosa foi curada, mas também o diabetes. O açúcar no sangue ficou normal sem o uso de nenhum medicamento. E o triglicéridos e colesterol também melhoraram. A hipertensão arterial também melhorou. Na verdade, desapareceu em cerca de metade dos hipertensos – uma queda de 80% na necessidade de medicamentos de hipertensão arterial em três semanas. Agora, este foi um programa de internação, em que as refeições eram fornecidas aos pacientes. O que aconteceu depois de voltarem para casa? As 17 pessoas foram acompanhadas durante anos e, em todas exceto uma, o alívio da neuropatia dolorosa continuou ou melhorou ainda mais. Como é que conseguiram esse tipo de comprometimento? A dor e os problemas de saúde são fatores motivacionais fortes. Uma das condições mais dolorosas e frustrantes de tratar em toda a medicina obtém uma cura de 75% num par de dias com um tratamento natural e não tóxico, na realidade, benéfico: uma dieta composta de alimentos integrais vegetais. Como pode uma lesão do nervo ser revertida tão repentinamente? Não foi necessariamente pela melhoria no controle do açúcar no sangue, já que a dieta levou cerca de dez dias para controlar o diabetes, enquanto a dor desapareceu em apenas quatro dias. Existem vários mecanismos pelos quais uma dieta totalmente vegetariana funciona no aliviar do problema da neuropatia diabética, bem como o próprio diabetes. A especulação mais interessante foi que talvez as gorduras trans encontradas naturalmente na carne, laticínios e óleos vegetais refinados estivessem a causar uma resposta inflamatória. Eles descobriram que uma percentagem significativa de gordura sob a pele de quem comia carne ou produtos lácteos consistia em gorduras trans, enquanto que nos que tinham uma dieta estritamente vegetariana não havia nenhuma. Eles inseriram agulhas nas nádegas de pessoas com dietas diferentes, e nove meses ou mais numa dieta estritamente vegetariana pareceu remover a gordura trans de seus corpos… ou pelo menos dos seus traseiros. Mas a dor não demorou nove meses para melhorar; ela melhorou em alguns dias. Provavelmente tenha sido pela melhora no fluxo sanguíneo. Biópsias de nervo em diabéticos com neuropatia progressiva grave têm mostrado doença de pequenos vasos no interior do nervo. Existem vasos sanguíneos dentro de nossos nervos que podem ficar entupidos. Os níveis de oxigénio nos nervos de diabéticos descobriu-se serem mais baixos do que até os do sangue desoxigenado. Esta falta de oxigénio dentro do nervo pode surgir de bloqueios no interior dos vasos sanguíneos, privando o nervo de oxigénio, que, presumivelmente, os leva a gritar de dor. Em poucos dias, porém, a melhora na reologia sanguínea – a facilidade de fluxo de sangue – numa dieta à base de plantas – pode desempenhar um papel proeminente na reversão da neuropatia diabética. As dietas à base de plantas também podem reduzir o nível de IGF-1 no interior dos globos oculares de diabéticos e reduzir o risco de retinopatia – a perda de visão diabética. Mas a maneira mais eficiente de evitar complicações diabéticas é eliminar o diabetes, e isso muitas vezes é viável para pacientes tipo 2 que assumem o compromisso de praticar exercícios diários e seguir uma dieta suficientemente saudável. Desde o relatório inicial de reversão da neuropatia, os resultados foram replicados com melhorias significativas na dormência e ardor. Por que eu não aprendi isso na faculdade de medicina? A negligência por parte comunidade médica mais ampla deste importante trabalho é nada menos que inconcebível. Nutrição em Factos, a mais recente pesquisa em nutrição. Publicações em Português em Nutricao-em-Fatos.org
Recolher Transcrição

Imagem graças a Alexis via Pixabay.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *