Como Não Morrer de Doença Cardíaca

Abordagens do estilo de vida não são apenas mais seguras e mais baratas. Podem funcionar melhor, porque estão a tratar a verdadeira causa da doença.

Se ainda não o fizeram, podem subscrever aos novos vídeos aqui

Já descobriu o livro Como Não Morrer de Michael Greger?

Notas do Dr. Michael Greger

Consegue imaginar o quão esmagador o NutritionFacts.org poderá ser para alguém novo para o site. Com vídeos em mais de 2000 tópicos de saúde,por onde começar? Imagine alguém a tropeçar no site quando o novo vídeo do dia é sobre alguma especiaria pode ser eficaz no tratamento de uma forma particular de artrite. Seria fácil perder a floresta pelas árvores. Foi por isso que criei esta nova série de vídeos de revisão geral, os quais são basicamente tirados diretamente da minha apresentação ao vivo de 2016 com uma hora de duração Como Não Morrer: Prevenindo, Travando e Revertendo as Nossas 15 Principais Causas de Morte (Legendado em Português).

Fiquem atentos para:

Se este vídeo lhe inspirou a aprender mais sobre o papel que a dieta pode desempenhar na prevenção e tratamento da doença cardíaca, vejam alguns destes vídeos populares nesse mesmo tópico:

Tem uma questão para o Dr. Greger sobre este vídeo? Deixe-a na secção de comentários do original How Not to Die from Heart Disease e ele procurará responder-lhe!

Fontes citadas
Desenrole a Transcrição aqui

“Como Não Morrer de Doença Cardíaca

A razão mais provável pela qual a maioria dos nossos entes queridos irá morrer é a doença cardíaca. Ainda cabe a cada um de nós tomarmos as nossas próprias decisões quanto ao que comer e como viver – mas devemos fazer essas escolhas conscientemente, educando-nos sobre as consequências previsíveis das nossas ações. A aterosclerose, endurecimento das artérias, inicia-se na infância. Aos 10 anos, as artérias de quase todas as crianças criadas numa dieta americana padrão já têm estrias de gordura — o primeiro estágio da doença. Depois, as placas começam a formar-se nos nossos 20s, pioram nos nossos 30s e, então, podem começar a matar-nos. No nosso coração chama-se um ataque cardíaco; e no nosso cérebro pode manifestar-se como um derrame. Então, se há alguém a assistir a isto com mais de 10 anos de idade, então a escolha não é se deve ou não comer saudável para prevenir doença cardíaca, é se quer ou não reverter a doença cardíaca que provavelmente já tem. Isso é mesmo possível?
Quando os pesquisadores pegaram em pessoas com doença cardíaca e colocáram-nas no tipo de dieta à base de plantas seguida por populações que não tinham epidemia de doença cardíaca, a sua esperança era de que poderia retardar o processo da doença, talvez até mesmo travá-lo. Mas, em vez disso, algo milagroso aconteceu. A doença começou a reverter, a ficar melhor. Assim que os pacientes pararam de comer dietas que entopem artérias, os seus corpos foram capazes de começar a dissolver alguma daquela placa, abrindo as artérias sem drogas, sem cirurgia, sugerindo que os seus corpos queriam curar-se todo aquele tempo, mas simplesmente nunca lhes deram oportunidade. Essa melhoria do fluxo sanguíneo para o músculo cardíaco (à esquerda) foi após apenas três semanas a comer saudável.
Deixem-me partilhar com vocês aquilo que tem sido chamado de o segredo mais bem guardado na medicina. O segredo mais bem guardado na medicina é que, por vezes, dadas as condições adequadas, o corpo pode curar-se a si mesmo. Vocês sabem, se baterem com a canela, mesmo com força, numa mesa de café, pode ficar toda vermelha, quente, dolorosa, inchada, inflamada, mas… irá curar naturalmente se simplesmente não fizer nada e deixar o corpo fazer a sua mágica. Mas e se continuasse a bater com a sua canela no mesmo lugar dia após dia, na verdade três vezes ao dia (café da manhã, almoço e jantar). Nunca iria curar! Você iria ao seu médico e seria tipo, “Oh, dói-me a canela”, e o médico seria tipo, “Não há problema,” sacava o seu caderno, escrevia-lhe uma prescrição de analgésicos. Você ainda está a bater com a canela três vezes ao dia. Oh, ainda dói pa caraças, mas oh, sinto-me muito melhor com esses comprimidos para as dores a bordo. Graças a deus pela medicina moderna.
É como quando as pessoas tomam nitroglicerina para a dor de peito, um alívio tremendo, mas não estão a fazer nada para tratar a causa subjacente. O nosso corpo quer voltar a ser saudável se o permitirmos. Mas se continuarmos a danificar-mo-nos três vezes ao dia, poderemos nunca curar-nos. Uma das coisas mais espantosas que aprendi em toda a minha formação médica foi que no espaço de aproximadamente 15 anos após se parar de fumar, o risco de cancro de pulmão aproxima-se daquele de um não-fumador por toda a vida. Não é espantoso? Os pulmões conseguem limpar todo aquele alcatrão, e, eventualmente, é quase como se nunca tivessem começado a fumar de todo. E todas as manhãs da nossa vida de fumador, aquele processo de cura iniciava-se até que — Toma! O nosso primeiro cigarro do dia, danificando outra vez os nossos pulmões a cada passa, tal como podemos danificar outra vez as nossas artérias com cada dentada, quando tudo o que tínhamos que fazer o tempo todo — a cura milagrosa — era simplesmente não intervir, sair do caminho, parar de danificar-mo-nos outra e outra vez, e deixar os processos naturais de cura dos nossos corpos nos trazerem de volta para a saúde. O corpo humano é uma máquina que se cura a si mesma.
Claro, você poderia escolher moderação — bater-se com um martelo menor — mas porquê bater-se de todo? Não digo aos meus pacientes fumadores para reduzirem para meio maço por dia, Digo-lhes para deixarem. Claro, meio maço é melhor do que dois maços por dia, mas devíamos tentar pôr apenas coisas saudáveis ​​nas nossas bocas. Sabemos isto há décadas: American Heart Journal, 1977. Casos como o Sr. FW aqui — doença cardíaca tão má que ele nem conseguia mesmo chegar à caixa do correio, mas começou a comer mais saudável, e alguns meses mais tarde, estava a subir montanhas, sem nenhuma dor. Agora existem estas novas drogas fantasiosas anti-angina, anti dor de peito. Custam milhares de dólares por ano, mas na dose mais elevada, poderão ser capazes de prolongar a duração do exercício, tanto quanto 33 segundos e meio. Não parece que aqueles que escolhem a via das drogas irão escalar montanhas tão cedo. Dietas à base de plantas não são apenas mais seguras e mais baratas. Elas podem funcionar melhor porque estão a tratar a verdadeira causa da doença. Nutrição em Factos, o mais recente na pesquisa em nutrição. Publicações em Português em Nutricao-em-Fatos.org
Recolher Transcrição

Videografismo cortesia de Grant Peacock via Pixabay.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *