Cancro da Próstata e Leite Biológico versus Leite de Amêndoa

Será que a estimulação hormonal de células de cancro da próstata humanas pelo leite de vaca numa placa Petri traduz clinicamente os estudos feitos em populações humanas?

Se ainda não o fizeram, podem subscrever aos novos vídeos aqui

Notas do Dr. Michael Greger

Toquei previamente nos dados sobre cancro da próstata em um dos meus vídeos mais antigos, Abrandando o Crescimento do Cancro. Outros fatores poderão fazer parte da ligação entre cancro e consumo de laticínios, incluindo poluentes industriais (Cancerígenos Industriais na Gordura Animal) e IGF-1 (Quão Baseado em Plantas para se Reduzir a IGF-1?), mas para mais sobre as hormonas nos laticínios, vejam:

E então e todos os estudos que sugerem que o leite “faz bem”? Vejam o meu vídeo Efeito de Financiamento da Indústria Alimentar.

Tem uma questão para o Dr. Greger sobre este vídeo? Deixe-a na secção de comentários do vídeo original e ele procurará responder-lhe!

Fontes citadas

P. L. Tate, R. Bibb, L. L. Larcom. Milk stimulates growth of prostate cancer cells in culture. Nutr Cancer. 2011 63(8):1361 – 1366.

D. Ganmaa, X.-M. Li, J. Wang, L.-Q. Qin, P.-Y. Wang, A. Sato. Incidence and mortality of testicular and prostatic cancers in relation to world dietary practices. Int. J. Cancer. 2002 98(2):262 – 267.

L.-Q. Qin, J.-Y. Xu, P.-Y. Wang, T. Kaneko, K. Hoshi, A. Sato. Milk consumption is a risk factor for prostate cancer: Meta-analysis of case-control studies. Nutr Cancer. 2004 48(1):22 – 27.

J. E. Torfadottir, L. Steingrimsdottir, L. Mucci, T. Aspelund, J. L. Kasperzyk, O. Olafsson, K. Fall, L. Tryggvadottir, T. B. Harris, L. Launer, E. Jonsson, H. Tulinius, M. Stampfer, H.-O. Adami, V. Gudnason, U. A. Valdimarsdottir. Milk intake in early life and risk of advanced prostate cancer. Am. J. Epidemiol. 2012 175(2):144 – 153.

X. M. Li, D. Ganmaa, A. Sato. The experience of Japan as a clue to the etiology of breast and ovarian cancers: Relationship between death from both malignancies and dietary practices. Med. Hypotheses. 2003 60(2):268 – 275.

D. Ganmaa, X. M. Li, L. Q. Qin, P. Y. Wang, M. Takeda, A. Sato. The experience of Japan as a clue to the etiology of testicular and prostatic cancers. Med. Hypotheses. 2003 60(5):724 – 730.

L.-Q. Qin, J.-Y. Xu, P.-Y. Wang, J. Tong, K. Hoshi. Milk consumption is a risk factor for prostate cancer in Western countries: Evidence from cohort studies. Asia Pac J Clin Nutr. 2007 16(3):467 – 476.

F. W. Danby. Re: Endogenous sex hormones and prostate cancer: a collaborative analysis of 18 prospective studies. JNCI J Natl Cancer Inst. 2008 100(19):1412-1413.

Recolher Fontes

Desenrole a Transcrição aqui

Cancro da Próstata e Leite Biológico versus Leite de Amêndoa

Tem sido manifestada preocupação sobre o facto de que o leite de vaca contém estrogénios e poderia estimular o crescimento de tumores sensíveis a hormonas; preocupação de que o consumo de produtos lácteos possa promover ambas a conversão de lesões pré-cancerosas ou de células mutadas em cancro invasivo e, aumentar a progressão de tumores dependentes de hormonas. Isto foi inicialmente postulado com base em dados sugestivos de escala populacional como este: um aumento de 25 vezes em cancro da próstata no Japão desde a guerra. O que estava a acontecer com as suas dietas durante esse período? Um aumento de 5, 10 e 20 vezes no consumo de ovos, carne, e produtos lácteos, enquanto que o resto da sua dieta permaneceu bastante estável. Mas a dieta não foi a única mudança importante no estilo de vida japonês durante o último meio século. De forma similar, apesar de os países com maior consumo de leite tenderem a ter mais mortes por cancro da próstata, e países com menor consumo de leite menos mortes, poderão haver centenas de variáveis ​​a confundir-nos, mas sem dúvida estimula o interesse em estudar a possibilidade. Este estudo recente representa o outro extremo, controlando tantos fatores quanto possível ao simplesmente isolar células de cancro da próstata fora do corpo numa placa de Petri e gotejar leite de vaca directamente nelas. Eles escolheram leite de vaca biológico porque queriam excluir o efeito de hormonas adicionadas, e apenas testar o efeito de todas as hormonas de crescimento e sexuais encontradas naturalmente em todo o leite. Eles descobriram que o leite de vaca estimulava o crescimento de células de cancro da próstata humanas em cada uma das 14 experiências separadas, produzindo um aumento médio na taxa de crescimento do cancro de mais de 30%. Em contraste, o leite de amêndoa suprimiu o crescimento destas células cancerosas em mais de 30%. Mas, só porque algo acontece numa placa de Petri ou num tubo de ensaio não significa que a mesma coisa aconteça numa pessoa. É apenas evidência sugestiva que pode ser usada numa aplicação a uma subvenção ou algo para se conseguir dinheiro para estudar pessoas de facto. Há como que duas principais formas de se fazer isso: estudos retrospectivos que olham para trás onde se pega em pacientes com cancro da próstata e descobre-se o que eles comiam no passado, e estudos prospectivos que olham para a frente, onde se olha para as dietas das pessoas em primeiro lugar e depois seguem-nos por alguns anos e vêem quem fica com cancro. O tipo de olhar para trás são chamados estudos de caso-controle, onde eles olham para casos de cancro e comparam as suas dietas com controlos, e o tipo que olha para a frente são chamados estudos coorte porque se está a seguir um grupo coorte de pessoas a diante. Depois, se se quiser caprichar, pode-se fazer o que se chama meta-análise, onde se combinam todos os melhores estudos feitos até hoje num só e vê-se o que o balanço das evidências disponíveis mostra. OK, então vamos lá. A mais recente meta-análise de todos os melhores estudos de caso-controle já feitos sobre o assunto conclui que o consumo de leite é um fator de risco para cancro da próstata. E a mais recente meta-análise de todos os melhores estudos de coorte já feitos também conclui que o consumo de leite é um fator de risco para cancro da próstata. Um estudo ainda mais recente sugere que a ingestão de leite durante a adolescência pode ser particularmente arriscada em termos de potencialmente preparar alguém para cancro mais tarde na vida. Apesar de os cancros relacionados a hormonas estarem entre as nossas principais causas de morte, como apontado no Journal of the National Cancer Institute, nós simplesmente não sabemos quais hormonas, e quanto delas, estão nos alimentos que ingerimos. Mais esforço tem sido direcionado para a investigação do uso ilícito de esteroides sintéticos por atletas olímpicos e jogadores de beisebol do que para a investigação do efeito das hormonas alimentares no cancro e outras doenças que afetam milhões. Uma proposta foi, por isso, feita para se monitorizar os níveis de esteroides e outras hormonas e fatores de crescimento em todos os produtos lácteos e alimentos que contenham carne, embora até hoje isso não tenha sido feito. Nutrição em Factos, a mais recente pesquisa em nutrição. Publicações em Português / traduções voluntárias em NF.FOCOEMPATICO.NET

Clique aqui para baixar a transcrição

Recolher Transcrição

Imagens graças a theimpulsivebuy e David Guo’s Master via Flickr e Boston University School of Public Health

Comments

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *