Castanho, Preto, Púrpura e Vermelho Diferente de Branco no Arroz

Ao arroz branco falta-lhe mais do que apenas fibra, vitaminas e minerais. Fitonutrientes, como o gama orizanol, no arroz integral podem ajudar a explicar os benefícios clínicos, e as variedades de arroz pigmentado naturalmente podem ser ainda mais saudáveis.

Se ainda não o fizeram, podem subscrever aos novos vídeos aqui

Notas do Dr. Michael Greger

Mudando de arroz branco para arroz integral permite a indivíduos obesos reduzirem significativamente o seu peso, o perímetro da cintura, a pressão arterial e o nível de inflamação nos seus corpos. Isso parece merecer um vídeo, não? Está a caminho! Fiquem atentos a Vale a Pena Mudar de Arroz Branco para Integral? [Legendado em Português] (Aliás, este era suposto ir primeiro mas enganei-me e troquei a ordem).

Entretanto, deliciem-se com outros vídeos sobre arroz:

 
Seis anos atrás, fiz um vídeo sobre Arsénio no Arroz. Isso sem dúvida merece uma atualização. Vou fazer outro vídeo ou série de vídeos a cobrir isso. Certifique-se que subscreveu, para que não o perca.

Mais sobre as potenciais maravilhas dos pigmentos de antocianinas azuis/pretos/roxos:

Tem uma questão para o Dr. Greger sobre este vídeo? Deixe-a na secção de comentários do original Brown, Black, Purple and Red Unlike White on Rice e ele procurará responder-lhe!

Fontes citadas

Q Sun, D Spiegelman, R M van Dam, M D Holmes, V S Malik, W C Willett, F B Hu. White rice, brown rice, and risk of type 2 diabetes in US men and women. Arch Intern Med. 2010 Jun 14;170(11):961-9.

C Kozuka, K Yabiju, C Takayama, M Matsushita, M Shimabukuro. Natural food science based novel approach toward prevention and treatment of obesity and type 2 diabetes: recent studies on brown rice and γ-oryzanol. Obes Res Clin Pract. 2013 May-Jun;7(3):e165-72.

K Makynen, C Chitchumroonchokachai, S Adisakwattana, M Failla, T Ariyapitipun. Effect of gamma-oryzanol on the bioaccessibility and synthesis of cholesterol. Eur Rev Med Pharmacol Sci. 2012 Jan;16(1):49-56.

Y M Tantamango, S F Knutsen, W L Beeson, G Fraser, J Sabate. Foods and food groups associated with the incidence of colorectal polyps: the Adventist Health Study. Nutr Cancer. 2011;63(4):565-72.

M Kazemzadeh, S M Safavi, S Nemotollahi, Z Nourieh. Effect of Brown Rice Consumption on Inflammatory Marker and Cardiovascular Risk Factors among Overweight and Obese Non-menopausal Female Adults. Int J Prev Med. 2014 Apr;5(4):478-88.

K Pintha, S Yodkeeree, P Pitchakam, P Limtrakul. Anti-invasive activity against cancer cells of phytochemicals in red jasmine rice (Oryza sativa L.). Asian Pac J Cancer Prev. 2014;15(11):4601-7.

A J Henderson, C A Olila, A Kumar, E C Borresen, K Raina, R Agarwal, E P Tyan. Chemopreventive properties of dietary rice bran: current status and future prospects. Adv Nutr. 2012 Sep 1;3(5):643-53. Adv Nutr. 2012 Sep 1;3(5):643-53.

S Eslami, N M Esa, S M Marandi, G Ghasemi, S Eslami. Effects of gamma oryzanol supplementation on anthropometric measurements & muscular strength in healthy males following chronic resistance training. Indian J Med Res. 2014 Jun;139(6):857-63.

P N Chen, W H Kuo, C L Chiang, H L Chiou, Y S Hsieh, S C Chu. Black rice anthocyanins inhibit cancer cells invasion via repressions of MMPs and u-PA expression. Chem Biol Interact. 2006 Nov 7;163(3):218-29.

C Hui, Y Bin, Y Xiaoping, Y Long, C Chunye, M Mantian, L Wenhua. Anticancer activities of an anthocyanin-rich extract from black rice against breast cancer cells in vitro and in vivo. Nutr Cancer. 2010;62(8):1128-36.

G F Deng, X R Xu, Y Zhang, D Li, R Y Gan, H B Li. Phenolic compounds and bioactivities of pigmented rice. Crit Rev Food Sci Nutr. 2013;53(3):296-306.

M A Lloyd, L M Coons, E E Engstrom, S Pang, H F Pahulu, L V Ogden, O A Pike. Sensory and nutritional quality of white rice after residential storage for up to 30 years. Int J Food Sci Nutr. 2014 May;65(3):320-6.

G Pereira-Caro, G Cros, T Yokota, A Crozier. Phytochemical profiles of black, red, brown, and white rice from the Camargue region of France. J Agric Food Chem. 2013 Aug 21;61(33):7976-86.

Recolher Fontes

Desenrole a Transcrição aqui

Castanho, Preto, Púrpura e Vermelho Diferente de Branco no Arroz

Porque é que a mudança de arroz branco para arroz integral permite aos indivíduos com excesso de peso reduzirem significativamente o seu peso, tamanho da cintura, pressão arterial e o nível de inflamação nos seus corpos? Achamos que pode ser da fibra. O arroz integral tem quatro vezes mais fibra dietética que o branco, incluindo os tipos prebióticos que promovem o crescimento das nossas boas bactérias, o que pode ajudar a explicar os efeitos anti-obesidade do arroz castanho. Para além da fibra prebiótica há todo o tipo de vitaminas e minerais que são perdidos quando o arroz integral é moído em branco juntamente com fitonutrientes, tais como gama orizanol, o que pode, teoricamente, ajudar a mudar a nossa preferência para alimentos saudáveis. Existem também estudos de placas de petri que sugerem que pode ajudar a reduzir o colesterol, e juntamente com outros compostos encontrados no farelo de arroz, que dá a cor castanha ao arroz integral, pode inibir o crescimento de células de cancro humano, através de meios antioxidantes, mecanismos anti-proliferativos e pro suicídio de células de cancro, modulação do sistema imunológico, e aumento da barreira de protecção, mas, mais uma vez, tudo isso é apenas em tubos de ensaio, não pessoas. Existem dois estudos em humanos, contudo. O Estudo Adventista de Saúde descobriu que o arroz integral foi um dos quatro alimentos associados com redução significativa do risco de pólipos colorretais, que podem transformar-se em cancro colorretal. Comer vegetais verdes cozidos todos os dias foi associado com um risco 24% mais baixo, tanto quanto frutos secos apenas três vezes por semana. Comer feijão, grão de bico, ervilhas, ou lentilhas pelo menos três vezes por semana foi associado com um risco 33% inferior, mas o arroz integral parecia acumular um risco 40% menor, e isso foi apenas uma única porção por semana ou mais. O outro estudo relatou aumento da força muscular após suplementação com um composto de arroz integral, na esperança de que poderia fornecer uma alternativa livre de efeitos colaterais para esteróides anabolizantes, mas a dose que estavam a dar é equivalente a tipo 17 xícaras de arroz integral por dia, logo, não é claro se funciona em doses práticas. Arroz pigmentado naturalmente, tal como o arroz preto ou o arroz vermelho. podem ser ainda mais nutritivos do que o castanho. Durante a última década, tem sido demonstrado que estes pigmentos vegetais naturais de antocianina podem ter uma variedade de efeitos benéficos. Eles são aquilo que faz os mirtilos azuis e a cove roxa roxa. Reconhecimento recente do facto de que dietas ricas em alimentos de origem vegetal diminuem os riscos de cancro promove o entusiasmo para se isolar esses componentes como agentes farmacêuticos, mas por que não simplesmente comer os mirtilos, ou adicionar um pouco de couve roxa aos seus vegetais salteados em cima de um pouco de arroz colorido? Arroz preto, púrpura e vermelho e os seus compostos de pigmentos mostraram uma variedade de atividades antioxidantes, anti cancro, anti doença cardíaca, anti-diabetes, e anti-alérgicas, mas isto são tudo estudos feitos em laboratório; ainda não temos estudos clínicos, mas eles têm tudo aquilo que o arroz integral tem, e ainda cinco vezes mais antioxidantes e todas essas guloseimas extras e é por isso que eu cozinho sempre arroz vermelho, preto, ou púrpura, ou melhor, a minha panela elétrica de arroz cozinha, sempre com um punhado de lentilhas ou ervilhas lá para dentro e em boa medida uma vez que cozinham no mesmo período de tempo. Mas porque a maioria das pessoas ainda não opta por arroz castanho em vez de branco? Bem, o castanho não dura tanto tempo nas prateleiras, e por isso pode de facto ser mais caro, mesmo que seja menos processado, enquanto que o arroz branco é tipo alimento apocalipse, até deixa os Twinkies envergonhados, ainda comestível após 30 anos, embora então possa ter um ligeiro odor a massa de modelar. Nutrição em Factos, a mais recente pesquisa em nutrição. Publicações em Português em Nutricao-em-Fatos.org
Recolher Transcrição

Imagem graças a ronamae via Flickr.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *